Uma revista que se lê e que se vê
24
O excesso
Gianluca Cuozzo
McKenzie Wark
Maddalena Mazzocut-Mis
Paul Morland
Laurent de Sutter
Michael Hardt
Weaving Stories
Greenhouse
Italo Calvino
Alfonso Berardinelli
Tokushima
José Bértolo
Tunísia
Badiaa Bouhrizi
André Príncipe
Revolução de Abril
DonatellaDiCesare
Tóxico
Gonçalo M. Tavares
Primavera 2024
Sobre esta edição

Uma lei do excesso governa o mundo contemporâneo em todos os domínios. Os produtos da sociedade de consumo, a lógica financeira, a riqueza e a pobreza, os fenómenos da vida social e política, o crescimento das cidades, a circulação de pessoas e mercadorias, o lixo e os resíduos: tudo abandonou a justa medida e se pôs a crescer e a proliferar sem contenção. É sobre o Excesso, as suas manifestações e os seus efeitos, que trata o dossier central da Electra 24, com ensaios de Gianluca Cuozzo, Christian Salmon, Maddalena Mazzocut-Mis, McKenzie Wark, Paul Morland e Laurent de Sutter.

Nesta edição, o mais importante crítico literário italiano, Alfonso Berardinelli, escreve sobre Italo Calvino, o grande escritor, que levou a narrativa, o conto e as formas breves, a um grau supremo de construção literária, e Michael Hardt, um dos teóricos políticos mais conceituados do nosso tempo, fala com a Electra sobre amor e revolução, linguagem e libertação, activismo e prisão, e o seu novo projecto acerca da necessidade urgente de voltar a olhar para os movimentos revolucionários dos anos 70.

Na secção “Planisfério”, o fotógrafo André Príncipe viaja até à Tunísia e encontra-se com Badiaa Bouhrizi. É com esta cantora, autora e compositora, militante das causas da liberdade e da justiça social, que se desenvolve uma conversa sobre política, música e identidades africanas. Às palavras da entrevista juntam-se as imagens de um ensaio visual.

Para o “Furo” da Electra 24, a artista visual Mónica de Miranda, a historiadora Sónia Vaz Borges e a coreógrafa Vânia Gala, que constituem o colectivo que assegura a representação de Portugal na Bienal de Arte de Veneza 2024, destinaram um conjunto de textos e imagens que revelam os grandes temas e motivações do projecto "Greenhouse", um jardim crioulo, a partir do qual são pensados os temas do colonialismo, da guerra, das lutas de libertação e da ecologia.

Ainda neste número, a filósofa italiana Donatella Di Cesare presta testemunho da sua visita a Portugal e do período que se seguiu à Revolução de Abril de 1974; o designer Ruedi Baur propõe uma «cidade-floresta» em oposição à destruição urbana em curso; Afonso Dias Ramos comenta a publicação, em França, do curso inédito sobre a relação entre pintura e filosofia que Gilles Deleuze lecionou em 1981; Amândio Reis analisa um verso de um poema de Fernando Pessoa/Álvaro de Campos; o ensaísta e fotógrafo José Bértolo visita a cidade japonesa de Tokushima, seguindo o rasto do diplomata e escritor Wenceslau de Moraes e do cineasta Paulo Rocha; Nélio Conceição faz uma leitura dos Ensaios de Robert Musil; e Gonçalo M. Tavares escreve sobre a palavra “Tóxico”.

Calvino e o pathos da distância
Calvino e o pathos da distância
Michael Hardt: «Nada demora tanto tempo a resolver como um falso problema.»
Michael Hardt: «Nada demora tanto tempo a resolver como um falso problema.»
Ser zero em Tokushima
Ser zero em Tokushima
O excesso
O excesso
O excesso é o nosso destino
O excesso é o nosso destino
A vida secreta do lixo
A vida secreta do lixo
O excesso e o grotesco: as novas formas da soberania política
O excesso e o grotesco: as novas formas da soberania política
Escrita de luxo
Escrita de luxo
O excesso do feio
O excesso do feio
A demografia da escassez e do excesso
A demografia da escassez e do excesso
Teoria do mais
Teoria do mais
Fernando Pessoa – Álvaro de Campos: «E toda a realidade é um excesso, uma violência.»
Fernando Pessoa – Álvaro de Campos: «E toda a realidade é um excesso, uma violência.»
Weaving Stories — Greenhouse
Weaving Stories — Greenhouse
On Walking*
On Walking*
On crossing
On crossing
A Revolução de Abril vista de Itália
A Revolução de Abril vista de Itália
Comove-te, mas não te deixa triste — um encontro com Badiaa Bouhrizi e a Tunísia
Comove-te, mas não te deixa triste — um encontro com Badiaa Bouhrizi e a Tunísia
Para uma reapropriação da cidade
Para uma reapropriação da cidade
Robert Musil, a agulha e o tecido de uma época
Robert Musil, a agulha e o tecido de uma época
Gilles Deleuze, a catástrofe natural da pintura
Gilles Deleuze, a catástrofe natural da pintura

A Electra está presente na Feira de Arte Contemporânea ARCOlisboa 2024, que se realiza entre que se realiza entre 23 e 26 de Maio, na Cordoaria Nacional.

Em torno do tema central da edição 23 da revista Electra, “A atenção”, a Arpad Szenes - Vieira da Silva (FASVS) organiza, no seu auditório, uma conversa que irá decorrer na próxima quinta-feira, 4 de Abril, às 18h.

O escritor marroquino Abdellah Taïa, entrevistado na Electra 8, apresenta o seu livro Aquele que é digno de ser amado, no Instituto Francês de Portugal.

A socióloga Gisèle Sapiro, que assina um ensaio no Assunto “A vida ou a obra?”, da Electra 22, é mencionada em vários órgãos de comunicação social franceses e internacionais, como o jornal El País, a propósito da relação entre a vida e a obra dos autores e criadores.