Inverno 2023/24
Edição 23
A atenção
Yves Citton
Enrico Campo
Mark Wigley
Georg Franck
Claire Bishop
Svetlana Alpers
Philippe Descola
Milan Kundera
Christian Salmon
Kavafis
Nikos Pratsinis
Mª Helena Vieira da Silva
Psicadélicos
Marcelo Leite
Sobre esta edição

A Atenção, tema de que se ocupa o dossier central do número 23 da revista Electra, é um recurso escasso e precioso e por isso objecto de uma guerra de concorrência sem tréguas para conseguir a sua captura. Nunca houve uma tão grande proliferação de informação, de produtos de consumo, de bens culturais, de acontecimentos que reclamam a atenção. Ela é a mercadoria da qual depende o valor de todas as mercadorias, sejam materiais ou imateriais, reais ou simbólicas. A Atenção é, pois, uma questão fundamental do nosso tempo e é um tópico crucial para o compreendermos. Sobre ela destacam-se neste dossier artigos e entrevistas de Yves Citton, Enrico Campo, Mark Wigley, Georg Franck e Claire Bishop.

Nesta edição, na secção "Primeira Pessoa", são publicadas entrevistas à escritora, professora e crítica norte-americana Svetlana Alpers (por Afonso Dias Ramos), cujo trabalho pioneiro redefiniu o campo da história da arte nas últimas décadas, e a Philippe Descola (por António Guerreiro), figura central da Antropologia, que nos fala de temas que vão desde a produção de imagens e das tradições e dos estilos iconográficos à questão da oposição entre natureza e cultura.

A secção "Furo" apresenta um conjunto de desenhos e cartas inéditos da pintora Maria Helena Vieira da Silva. Em 1928, tinha vinte anos. Havia saído de Portugal para estudar arte em Paris e, de França, foi a Itália numa viagem de estudo. Durante esse percurso desenhou num caderno esboços rápidos do que via, e ao mesmo tempo, escrevia cartas à mãe para lhe contar as suas impressões e descobertas. Uma selecção destes desenhos e destas cartas, que estabelecem entre si um diálogo íntimo e consonante, é agora revelada.

Na Electra 23, é publicada, na secção "Figura", um retrato do grande poeta grego Konstandinos Kavafis, feito pelo professor e tradutor Nikos Pratsinis, a partir de oito perguntas capitais; é comentada, pelo escritor Christian Salmon, na secção "Passagens", uma reflexão sobre a história trágica da Europa Central do consagrado romancista e ensaísta checo, Milan Kundera.

Ainda neste número, o ensaísta e jornalista Sergio Molino dá-nos um mapa pessoal da cidade de Saragoça, em que a história e a geografia, a literatura e a arte se encontram; o jornalista e colunista brasileiro Marcelo Leite trata das investigações em curso desde os anos 90, com vista ao uso farmacológico e terapêutico dos psicadélicos; a escritora e veterinária María Sanchez constrói um diário que é atravessado por procuras e encontros, casas e viagens, livros e animais, terras e mulheres, amor e amizade; o arquitecto, investigador e curador chileno Francisco Díaz aborda a relação entre solo e terreno, a partir do projecto da Cidade da Cultura de Santiago de Compostela, da autoria de Peter Eisenman; o artista e ensaísta João Sousa Cardoso escreve sobre a obra do escultor Rui Chafes, revisitando três exposições e um livro apresentados durante o ano de 2023; e o dramaturgo Miguel Castro Caldas comenta a palavra "Confortável".

Svetlana Alpers: «Suspeito das palavras e das imagens.»
Svetlana Alpers: «Suspeito das palavras e das imagens.»
A Fonte dos Incrédulos de Saragoça
A Fonte dos Incrédulos de Saragoça
A atenção
A atenção
As regras e os limites da atenção
As regras e os limites da atenção
Da economia da atenção à economia da curiosidade
Da economia da atenção à economia da curiosidade
Repensar a política da atenção: entre a medição e o cuidado
Repensar a política da atenção: entre a medição e o cuidado
Arquitecturas da desatenção
Arquitecturas da desatenção
As várias faces da economia da atenção
As várias faces da economia da atenção
Claire Bishop: Atenção desordenada
Claire Bishop: Atenção desordenada
Oito perguntas sobre a poesia de Kavafis
Oito perguntas sobre a poesia de Kavafis
Sobre esta página brilhou o sol
Sobre esta página brilhou o sol
Milan Kundera: «Um homem sabe que é mortal, mas tem como certo que a sua nação possui uma espécie de vida eterna.»
Milan Kundera: «Um homem sabe que é mortal, mas tem como certo que a sua nação possui uma espécie de vida eterna.»
Philippe Descola: «Nós, modernos, somos os únicos a pensar a diferença entre natureza e cultura.»
Philippe Descola: «Nós, modernos, somos os únicos a pensar a diferença entre natureza e cultura.»
Maria Helena Vieira da Silva: Viagem a Itália
Maria Helena Vieira da Silva: Viagem a Itália
O segundo advento dos psicadélicos
O segundo advento dos psicadélicos
Cidades enterradas
Cidades enterradas
Rui Chafes: a moral da história
Rui Chafes: a moral da história